Barroso manda investigar membros do governo Bolsonaro por genocídio indígena

O ministro Lu√≠s Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta segunda-feira (30/1), a investiga√ß√£o de autoridades do governo de Jair Bolsonaro (PL) pelos crimes cometidos contra ind√≠genas, inclusive o de genoc√≠dio. Barroso indica m√ļltiplos il√≠citos que comp√Ķem um "quadro grav√≠ssimo e preocupante."

O processo ocorre em sigilo, mas foi pedido que documentos que "sugerem um quadro de absoluta insegurança dos povos indígenas envolvidos, bem como a ocorrência de ação ou omissão, parcial ou total, por parte de autoridades federais, agravando tal situação" fossem enviados ao Tribunal.

Alguns deles s√£o a publica√ß√£o no Di√°rio Oficial da Uni√£o (DOU), que informou data e local de realiza√ß√£o de opera√ß√£o sigilosa de interven√ß√£o em Terra Ind√≠gena (TI), assinada pelo ex-ministro da Justi√ßa, Anderson Torres. E a quebra de sigilo que ocorreu na Opera√ß√£o Jacareacanga, realizada pela For√ßa A√©rea Brasileira (FAB), que teve seu planejamento alterado garantindo o alerta aos garimpeiros.

 

A determina√ß√£o √© de que a Procuradoria-Geral da Rep√ļblica (PGR), o Minist√©rio P√ļblico Militar (MPM), o Minist√©rio da Justi√ßa e Seguran√ßa P√ļblica e a Superintend√™ncia Regional da Pol√≠cia Federal de Roraima iniciem a apura√ß√£o de crime de desobedi√™ncia, quebra de segredo de justi√ßa e de delitos ambientais relacionados √† vida, √† sa√ļde e √† seguran√ßa de povos ind√≠genas.

Escrito por: Tain√° Andrade - Correio Braziliense